Tutela da dignidade da pessoa humana, defendem Bento XVI e Francisco

Tutela da dignidade da pessoa humana, defendem Bento XVI e Francisco

Papa Francisco visita Bento XVI no Mosteiro Mater Ecclesiae. Imagem: Vatican Media

Teve início, nesta quinta-feira (15/11), em Roma, o simpósio internacional “Direitos fundamentais e conflitos entre os direitos”, promovido pela Fundação Vaticana Joseph Ratzinger-Bento XVI junto com a Universidade Lumsa (Libera Università Maria Santissima Assunta).

Para a ocasião, o Papa emérito Bento XVI enviou uma carta ao presidente da fundação Joseph Ratzinger-Bento XVI, pe. Federico Lombardi, que foi lida na abertura do evento, pela manhã.

Convivência da família humana

Na missiva, Bento XVI manifesta seu apreço pela iniciativa, “considerando-a extraordinariamente útil”. Segundo o Papa emérito, é importante falar claramente sobre a “problemática da ‘multiplicação dos direitos’ e do risco da ‘destruição da ideia de direito’”.

“É uma questão atual e fundamental a fim de tutelar as bases da convivência da família humana, que merece ser novamente tema de uma reflexão profunda e sistemática, conforme demostrado pelo programa do simpósio”, destaca Bento XVI na carta.

O Papa emérito manifesta aos relatores e participantes do encontro sua estima e proximidade na oração “a fim de que o Senhor abençoe os trabalhos como um serviço precioso para a Igreja e o bem da família humana”.

Remover os muros de separação

O Papa Francisco também enviou uma carta a pe. Lombardi, por ocasião do simpósio.

O Pontífice recorda o aproximar-se do aniversário de 70 anos da Declaração Universal dos Direitos Humanos, sublinhando que “é oportuno não somente celebrar a memória desse evento histórico, mas também estabelecer uma reflexão profunda sobre a implementação e o desenvolvimento da visão dos direitos humanos no mundo atual”.

No discurso ao Corpo Diplomático, em janeiro passado, dedicado a essa declaração, Francisco observa que esse documento “visa remover os muros de separação que dividem a família humana e favorecer o desenvolvimento humano integral”.

O Papa destaca que “no decorrer dos anos, a interpretação de alguns direitos foi mudando progressivamente, a fim de incluir uma diversidade de novos direitos, muitas vezes em oposição um ao outro. Abre-se assim, uma série de problemas que envolvem profundamente a ideia de direito e seus fundamentos.”

A propósito de Bento XVI

Francisco recorda que “o Papa emérito Bento XVI sentiu com lucidez a urgência dessas temáticas para o nosso tempo e agiu com autoridade sobre isso como pensador e como pastor. Por isso, vinte anos atrás a Universidade Lumsa concedeu ao cardeal Ratzinger a laurea honoris causa em Jurisprudência”.

Francisco conclui a missiva, desejando que esse simpósio, obtendo inspiração do pensamento e do magistério do Papa emérito Bento XVI, “possa contribuir com coragem e profundidade a iluminar uma problemática essencial para a tutela da dignidade da pessoa humana e seu desenvolvimento integral”.

Fonte: Vatican News

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *