Notícias

 

Imagem da Mãe Peregrina de Schoenstatt visita paróquias da Arquidiocese de BH

Imagem: Arquidiocese de BH

Imagem: Arquidiocese de BH

A Capela do Palácio Cristo Rei recebeu, na última segunda-feira (17), a réplica da imagem original de Nossa Senhora de Schoenstatt.  Religiosas receberam a imagem e rezaram pedindo a intercessão da Mãe Rainha.

A imagem irá peregrinar por todas as paróquias da Arquidiocese de Belo Horizonte, em comemoração aos 30 anos de chegada da Campanha da Mãe Peregrina à Arquidiocese, em 31 de maio de 1987, no bairro Nações Unidas, em Sabará.

No dia 21 de maio o Santuário de Schoestatt Tabor da Liberdade, em Confins, prepara uma programação especial para celebrar seu 14º aniversário e os 30 anos da peregrinação da Mãe Rainha. Clique aqui para mais informações.

Veja o calendário de peregrinações da imagem na Arquidiocese

– Paróquias da Rensp: abril e maio

– Paróquias da Rensa: junho e julho

– Paróquias da Rensc: agosto e setembro

– Paróquias da Rense: outubro e novembro

Nossa Senhora de Schoenstatt: A devoção a Nossa Senhora de Schoenstatt surgiu em 1914, quando em 18 de outubro, o padre José Kentenich, ao fazer uma palestra aos alunos do Seminário em Schoenstatt, na Alemanha, inspirado por Deus, fez um convite para rezarem, se consagrarem a Maria e oferecer-lhe sacrifícios, especialmente pela auto-educação, para que a capelinha da Congregação, então consagrada a São Miguel, se tornasse um Santuário de graças, núcleo de um movimento de renovação que se espalhasse por todo o mundo. A capelinha deveria tornar-se, assim, um local de manifestação das glórias de Nossa Senhora, especialmente de sua ação como Educadora. O objetivo é a educação de um homem novo e a construção de uma nova sociedade. Schoenstatt (Schönstatt – que significa Belo Lugar) é uma região da cidade de Vallendar, próximo de Coblença, às margens do Rio Reno.

A imagem de Maria colocada na capelinha de São Miguel, que se tornou santuário mariano, é cópia do quadro original pintado por Crosio, um pintor italiano do século XIX. Em 1915, ela recebeu o nome de “Mãe Três Vezes Admirável”. No decorrer da história o título se ampliou para “Mãe, Rainha e Vencedora Três Vezes Admirável de Schoenstatt”, mais conhecida no Brasil como: “Mãe e Rainha”.

Réplicas dessa capelinha percorrem as casas dos fiéis e muitos têm sido os relatos de graças recebidas pelos que as recebem em seus lares ou peregrinam aos santuários dedicados à Nossa Senhora de Schoenstatt, que então se espalharam pelo mundo inteiro. Como intercessora junto a Deus, a Mãe e Rainha alcança para todos os que a procuram nos santuários a tríplice graça: a graça do abrigo espiritual, da transformação interior e da fecundidade apostólica.

Fonte: Arquidiocese de BH

Deixe seu comentário

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

 

Rádio américa na rede